Lisboa MudaLisboa Muda
filme-concerto
de Luís Soldado & Alexandre Lyra Leite

Palácio do Sobralinho
Sab, 27 Set 22:00

deo-instalação com banda sonora original executada ao vivo, concebida a partir de filmes documentais mudos do espólio da Cinemateca Portuguesa, do início do século XX, que retratam Lisboa antiga, a sua relação com o rio e os locais de veraneio dos lisboetas.

Projecto vencedor do concurso “Andar Em Festa”, estreado no terminal fluvial do Terreiro do Paço, em Junho de 2014, no âmbito das Festas de Lisboa (evento promovido pela EGEAC / Câmara Municipal de Lisboa).

A banda-sonora, da autoria de Luís Soldado e com direcção musical do maestro Rui Pinheiro, será executada por José Valente (acordeão), Fábio Oliveira (trompete), Marcos Lázaro (violino) e Ruben Jacinto (clarinete).

Lisboa Muda é o segundo projecto desenvolvido em parceria pelo compositor Luís Soldado e o encenador Alexandre Lyra Leite, que em 2013 iniciaram uma colaboração artística com a ópera de rua Serei Eu Fugindo?, apresentada nos comboios da linha Lisboa-Cascais.

www.inestetica.com/video/lisboamuda.html

Música Luís Soldado
Vídeo Alexandre Lyra Leite
a partir do filmes
Alfama A Velha Lisboa (1930) de João de Almeida e Sá
Praias de Portugal – Parede, Estoris, Cascais (1927) dos Serviços Cinematográficos do Exército
Direcção Musical Rui Pinheiro
Acordeão José Valente
Trompete Fábio Oliveira
Violino Marcos Lázaro

Clarinete Ruben Jacinto
Produção Inestética

Classificação: M/3 anos
Duração aprox: 45′
Apoios

 
 

// biografias

Luís Soldado | Compositor
Finalizou o doutoramento em Composição, como aluno bolseiro da Fundação
para a Ciência e Tecnologia, no Royal College of Music, em 2012 e regressa a Lisboa no mesmo ano. A sua música tem sido programada por vários grupos e orquestras, entre os quais, Grupo de Música Contemporânea de Lisboa, London Contemporary Chamber Orchestra, Nederlands Blazers Ensemble, Orquestra do Algarve, RCM Sinfonietta, Orquestra Gulbenkian e Composers Ensemble.
De entre as suas obras mais recentes, destacam-se a ópera de câmara Hotel Suite, com libreto de Rui Zink, estreada em 2011, em Londres, a banda sonora para o filme mudo Os Lobos, de Rino Lupo (encomenda do 2º UK Portuguese Film Festival) estreada em 2011 no Barbican Centre em Londres, a ópera de câmara Fado Olissiponense, com libreto de Rui Zink, estreada em 2012 no Teatro Nacional de São Carlos, e a ópera de rua Serei Eu Fugindo?, com libreto de Rui
Zink, estreada em 2013 em Lisboa, no âmbito da iniciativa Andar Em Festa.

Alexandre Lyra Leite | Vídeo-Instalação
Estudou Cinema na ESTC – Escola Superior de Teatro e Cinema e Produção e Gestão Teatral no IFICT – Instituto de Formação, Investigação e Criação Teatral, em Lisboa. Formador desde 2006 na ETIC – Escola Técnica de Imagem e Comunicação, Lisboa, nos cursos de Realização, Vídeo e Animação 2D/3D.
Em 1991 fundou a Inestética companhia teatral, onde desenvolve actividade como director artístico, encenador e autor. Para além de textos originais, produziu e encenou espectáculos a partir de Franz Kafka, Edgar Allan Poe, Italo Calvino, William Blake e Stalislaw Lem, entre outros.
Foi premiado em três edições do Concurso O Teatro na Década, organizado pelo CPAI – Clube Português de Artes e Ideias, e bolseiro na área de Artes do Espectáculo/Teatro do Centro Nacional de Cultura e da Fundação Calouste
Gulbenkian (Programa Novos Encenadores).

Rui Pinheiro | Direção musical
Terminou recentemente um contrato de dois anos como Maestro Associado da Orquestra Sinfónica de Bournemouth (Reino Unido). Em Portugal dirigiu a Orquestra Sinfónica Portuguesa a Orquestra Nacional do Porto e a Metropolitana de Lisboa entre outras. Internacionalmente destacam-se concertos com a Ópera do País de Gales e apresentações nos BBC – PromsPlus e no Barbican, em Londres. Após concluir os seus estudos de Piano em Portugal e na Hungria, Rui Pinheiro concluiu o Mestrado em Direção de Orquestra no Royal College of Music de Londres.