Ópera no Palácio – Heroínas Mortíferas

Heroínas MortíferasHeroínas Mortíferas
Ópera em cenas dramáticas
Catarina Molder soprano, concepção e direcção cénica
Francisco Sassetti piano

Grandes heroínas de grandes óperas. Amor sem limites. Mães e amantes suicidárias, sequiosas de amor. Esposas mortíferas, sedentas de sangue e poder. Amores impossíveis, amores desesperados. Grito, destino, arrepio, loucura. Noite.
Cenas chave e árias de grandes óperas, traçam este itinerário dramático e libertador. Alban Berg, Verdi, Puccini.

Palácio do Sobralinho, Sab 18 Abril 22:00
M/12

Sinopse
O nevoeiro instala-se, a lua ilumina com uma luz prateada a escuridão da floresta. Vem a noite. Ouvem-se ruídos, cuidado, tem cuidado.
Suor Angelica acaba de descobrir que o seu adorado filho, razão da sua clausura no convento e da sua vida, morreu. Ninguém a avisou. Canta uma canção de embalar ao filho morto e decide juntar-se a ele.
Amélia chega ao local recôndito na montanha, onde vai apanhar a erva para realizar a poção mágica que a libertará do seu amor proibido. O cenário é assustador, ouve os ruídos da floresta. Está só, cheia de medo, da floresta e da sua própria vida. Dirige-se a Deus.
Lady Macbeth acaba de receber uma carta do marido a dizer que encontrou três bruxas que vaticinaram que este seria o rei da Escócia. Rapidamente deita contas à vida e percebe que só o seu espírito calculista e sanguinário pode ajudar o marido a conseguir o seu propósito. A carnificina consome-se. Lady Macbeth enlouquece, atormentada pelas cenas horríveis que protagonizou, não consegue limpar as mãos do sangue das vítimas.

Programa

Alban Berg
“Nacht” (A noite)
Puccini
“Tutto ho offerto alla vergine” (Tudo ofereci à virgem), Suor Angelica
“Senza mamma o bimbo tu sei morto” (Sem mãe, meu querido, morreste), Suor Angelica
Verdi
“Ecco l’orrido campo ove s’accoppia al delitto la morte” (Eis o horrível campo onde o delito e a morte se encontram) Amélia, Un Ballo in maschera
Puccini
“Un bel di vedremo” (Um belo dia veremos) Cio-cio san, Madama Butterfly
“Vissi d’arte” (Vivi de arte) Tosca
“Nel di della vittoria io le incontrai…”(No dia da vitória encontrei-as…) Lady Macbeth, Macbeth
“Una macchia è qui tuttora…” (Uma mancha estava aqui agora) Lady Macbeth, Macbeth

 

Catarina Molder tem uma extensa experiência performática e um repertório que vai de Mozart a Puccini e de Wagner a Alban Berg. Tem uma voz dramática e flexível que se move com igual facilidade num repertório mais dramático, lírico ou de teatro musical como o Kabarett ou música contemporânea.
Com o objectivo de encontrar meios ecléticos de comunicar a ópera a todos, esta soprano visionária, criou, apresentou e cantou no programa televisivo Super diva- ópera para todos, conquistando o prémio SPA para o melhor programa de entretenimento 2013. Ainda dirige e desenvolve projectos inovadores com ópera em formatos variados através da sua companhia, Ópera do Castelo.
www.catarinamolder.net

Francisco Sasseti
Paralelamente à carreira de Interprete, tem desenvolvido um trabalho muito intenso como acompanhador, apresentando-se nas principais salas de espectáculo. Tem-se destacado como professor de piano. Neste sentido alguns jovens pianistas que passaram pelas suas mãos foram premiados em concursos nacionais e integram agora as Escolas Superiores de música Portuguesas. Leccionou na Escola Leal da Câmara e na Escola Profissional de Música de Almada. Desde 1997 integra o corpo docente da Escola Superior de Música de Lisboa, como pianista acompanhador das classes de canto, é ainda acompanhador na ANSO (Academia Nacional Superior de Orquestra).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *