Captain Boy, 1 Fev

Palácio do Sobralinho
1 Fev 2019, 22:00

Captain Boy encerra a residência artística no Palácio do Sobralinho com uma apresentação ao vivo (showcase) que promete desvendar algumas paisagens sonoras do próximo álbum de originais, com lançamento agendado para Abril de 2019.
Entrada livre.

RESERVAR

Captain Boy é o alter-ego de Pedro Ribeiro. Vagabundo com voz rouca e guitarra a tiracolo que canta histórias que transcendem o tempo. A sonoridade ferrugenta acompanha-o em todas as actuações remetendo-nos para um ambiente como se nós próprios estivéssemos a bordo de um barco imaginário.

Assim como o mar, Captain Boy é imprevisível, transformando todos os concertos numa viagem distinta. O nome “Captain Boy” é inspirado numa história de Júlio Verne, escrita em 1878. Dick Sands, com 15 anos, torna-se comandante de um navio que ruma da Nova Zelândia a Valparaíso. De alguma forma somos todos capitães, putos… com pés grandes.

O primeiro EP do Artista foi editado em 2015, com a distribuição digital da Universal Music Portugal. No mesmo ano, e resultado da parceria com a plataforma Tradiio, Captain Boy chegou ao primeiro lugar do Top50 das mais de 1200 bandas a votação no Tradiio e foi o primeiro Artista a ser escolhido para abrir o palco EDP do Festival Super Bock Super Rock em Julho de 2015.

“Em tempos que a música portuguesa levita sobre um caminho quase comum, Captain Boy é um assombro vertical, uma resistência volátil que não nos deixa indiferentes – um som que marca a distância” (Revista Rua 2017)

Em 2016 chega-nos “Tango”. O tema foi gravado em várias divisões duma casa solarenga em Barcelos pelas mãos de Zé Arantes e produzido por Giliano Boucinha (Paraguaii). Tango é uma despedida dançante da nostalgia do que foi. Harmonizado por bombos, distorções e facas, é ver uma pintura que escorre pela tela à procura de forma.
Honey Bunny, o primeiro single do novo álbum, estreou a 17 de Outubro do mesmo ano e Daniel Fernandes (Indian Productions) assinou o videoclipe. “A ‘Honey Bunny’ podia ter sido escrita por um ajudante de produção do Pulp Fiction. Assim que saiu do restaurante, construiu um foguetão para fugir com a sua amante.” — Pedro Ribeiro

Em 2016 Captain Boy apresentou o seu trabalho em várias cidades como Guimarães, Porto, Lisboa, Alcobaça, Leiria, Vila Real, Bragança, entre outras, e teve oportunidade de apresentar uma mini-tour na Galiza. Num dos seus espectáculos, o artista foi contactado por um dos fotógrafos mais conceituados da Europa, Johan Bergmark, que lhe pediu para o fotografar aquando da sua passagem pelo Belém Art Fest em Maio de 2016. Johan Bergmark foi considerado o melhor fotógrafo de rock da Suécia por dois anos consecutivos e já fotografou nomes como Nick Cave, Steve Buscemi ou Quentin Tarantino.

“Captain Boy un artista portugués que llamó poderosamente nuestra atención por su personal voz y su capacidad de transmitir a través de ella la esencia del blues y rock de raíz, de sonido profundo y oscuro. El “vagabundo de voz ronca”, como a Captain Boy le gusta definirse, es mucho más que una voz grave, es una voz que tanto se vuelve aspera para cantarnos temas de fondo oscuro, como se vuelve dulce (…) Rasgos que hacen de “1” un disco de diferentes matices en el que la carismática voz de Captain Boy es la conductora” (Colectivo de Raro Propósito, 2017)

O disco de estreia de Captain Boy chama-se “1” e foi editado em Janeiro de 2017 pela Moon Records. Um álbum sobre fragilidades que começa no número um da capa escrito numa placa
de ishihara, que Captain Boy não lê porque é daltónico, e que termina quando chegamos a casa, na última música. Todo o álbum foi gravado na sua forma mais crua, despido de tudo o que é acessório, criando um canal directo entre as gravações e quem o ouve.

Da tour de apresentação do seu primeiro disco fazem parte eventos como Sons GMR (Centro Cultural Vila Flor em Guimarães); Alter Ego Music Sessions (CAE Sever do Vouga); Festival Confluências (Amarante); Festival Meda +; Festival Bons Sons (Cem Soldos); Festival Vodafone Paredes de Coura; Concertos de Verão na Casa da Música (Porto); Paços da Cultura (São João da Madeira); entre outros.

Discografia

CAPTAIN BOY (EP 2015) | Distribuição Digital Universal Music Portugal
1 (2017) | Distribuição Digital Moon Records

www.captainboymusic.com | www.facebook.com/captainboymusic

foto de capa © Johan Bergmark