Untitled

criação Lost Content

Palácio do Sobralinho
20 a 23 Abril 2022
Qua a Sab 21:30
M/12
Estreia

Consegues sentir o cheiro dos morangos? Sentes o calor do sol de Fra Angelico? E a solidão da rapariga de Hopper? Sentes? Talvez não fosse com isso que contavas quando foste arrastado para dentro da galeria. Acabaste de ser reformatado. O mundo como o conheceste não é mais o mesmo. 

De uma distopia profetizada para uma realidade destruidora: Este é o poder inescapável da Arte.

Ficha Artística

Criação Lost Content
Texto Mirró Pereira e Gisela Duque Pereira
Apoio à dramaturgia Bernardo Gavina
Recolha e captação de imagens Gisela Duque Pereira, João Gambino, Miguel Afonso, Mirró Pereira, Pedro Costa
Edição vídeo Miguel Afonso
Sonoplastia e Desenho de som Frisson
Apoio técnico Fernando Tavares
Design gráfico Rita Leite
Apoio à produção Susana Serralha
Produção Inestética companhia teatral / Plateia|Paralela

Agradecimentos | Museu Nacional de Arte Antiga, David Santos (Historiador de Arte), Macarena Casís

A Inestética é uma estrutura artística financiada pela República Portuguesa – Cultura, DGArtes e Câmara Municipal de Vila Franca de Xira
Apoios | Arte Franca, Imarte

Duração aprox: 50 minutos | M/12

Visual Portfolio, Posts & Image Gallery for WordPress

© Lost Content

Biografias

Gisela Duque Pereira

É licenciada em Gestão do Património pelo Instituto Politécnico do Porto, tem um Mlit em Visual Culture da University of Aberdeen, Escócia (UK). Pertence ao colectivo artístico da associação cultural Plateia|Paralela onde desenvolve trabalho criativo, programação e produção, destacando, de entre as obras co-criadas no seio deste colectivo, o espectáculo The Land of Lost Content estreado no Palácio do Sobralinho em 2017. Teve uma menção honrosa no Festival Carolina Herrera 212 pela autoria do texto da curtametragem My Woolen Scarf, de Sofia Hericson. Na área de produção liderou equipas no Museu dos Transportes e Comunicação, Museu do Vinho do Porto e Festival Varandas. Representou Portugal em Roma, na Unesco, nas Jornadas da Juventude Cultura para Paz. No âmbito deste colectivo, co-criou os espectáculos The Land of Lost Content (estreado no Palácio do Sobralinho em 2017), Skool Daze e Plot IV (ambos os espectáculos estreados no Festival Lusco-Fusco, no Pólo Cultural Gaivotas|Boavista, edições 2018 e 2019).

Mirró Pereira

Foi jornalista tendo exercido a profissão em diversas redacções. Foi aluna de Teatro da ESMAE. Trabalhou com vários encenadores e criadores como Paulo Calatré, John Gardyne, Alexandre Lyra Leite, Figueira Cid, Jorge Silva Melo, Ricardo Neves-Neves, João Mota, José Neves, Elmano Sancho, Filipa Matta, Cátia Pinheiro, José Nunes e Pedro Zegre Penim, Tónan Quito, Miguel Loureiro. Foi assistente de encenação de Jorge Silva Melo, Figueira Cid, Miguel Loureiro e Tónan Quito. Pertence ao colectivo artístico Lost Content da associação cultural Plateia|Paralela onde desenvolve trabalho criativo, programação e produção. No âmbito deste colectivo, co-criou os espectáculos The Land of Lost Content (estreado no Palácio do Sobralinho em 2017), Skool Daze e Plot IV (ambos os espectáculos estreados no Festival Lusco-Fusco, no Pólo Cultural Gaivotas|Boavista, edições 2018 e 2019).