Vado: solo sobre as coisas vazias, 18 Set

de Beatriz Valentim e Pedro Souza (Portugal)
Dança Invisível 2022
Ciclo de Dança Contemporânea

Palácio do Sobralinho
Dom 18 Set 2022, 18:00

Vado: solo sobre as coisas vazias

A minha mãe diz que eu falava sozinha. A dele não.

A ideia de uma performance-concerto sobre as coisas vazias parte do medo da solidão, da fraqueza e da sua monotonia, onde são explorados movimentos e sons sem rosto e sem identidade. A pesquisa baseia-se nos corpos fotografados, corpos com frio, corpos sem cara, corpos sozinhos e num afastamento constante das relações sociais.

A repetição e o limite são bases constante neste trabalho, onde o corpo é influenciado pelo constrangimento do espaço vazio, do espaço sonoro. Tudo se constrói com base nos cursos de pensamento, na simplicidade do estar e nas descobertas do movimento vazio.

Concepção e Interpretação Beatriz Valentim e Pedro Souza
Coreografia Beatriz Valentim
Composição musical Pedro Sousa
Desenho de Luz João Abreu
Operação de Som Martinho Cardoso
Figurino Beatriz Valentim e Catarina Casais
Agradecimentos Cine-Teatro Garrett, Francisco Camacho, Joana Von Mayer Trindade, Mafalda Deville, EIRA (no âmbito do Projeto de Estudo em Dança)
Residências Artísticas Companhia Instável; EVC – Estúdios Vítor Cordon/Companhia Nacional de Bailado ao abrigo do projeto “Residências Artísticas”

Duração: 40 min | Fotos © Diana Nobre

Beatriz Valentim
Formada pela Escola de Dança do Conservatório Nacional, tendo completado a sua formação com o Elit Trainning Program da companhia Budapest Dance Theatre e o F.O.R. Dance Theatre da Companhia Olga Roriz. É licenciada em sociologia pelo ISCTE-IUL, Lisboa, e concluiu a Pós-Graduação em Dança Contemporânea da ESMAE, Porto, terminando como bolseira para o Camping 2020 do Centre National de la Danse, Paris. Trabalhou com vários coreógrafos e artistas como Olga Roriz, Renato Zanella, Jérôme Bel, Raimund Hoghe, Mafalda Deville, Elisabeth Lambeck, Olatz de Andrés, Inês Jacques e Mão Morta, São Castro e António Cabrita, Sílvia Real e Francisco Camacho, Né Barros e Jonas&Lander.
A sua primeira criação em nome próprio, em conjunto com Pedro Souza, “VADO: solo sobre as coisas vazias”, estreou na XX Bienal Internacional de Arte de Cerveira, em 2018, seguindo-se o solo “NINA”, sobre a artista pop e punk Nina Hagen. Em 2021, criou “Self”, um dueto sobre o conceito de dualidade, apresentado no Festival Interferências e no Corpo + Cidade / DDD Out. 
Colabora como professora e formadora de dança contemporânea com várias escolas e companhias do país, como Balleteatro, Pallco Performing Arts School, Estúdios Vítor Córdon, F.O.R. Dance Theater Companhia Olga Roriz, entre outros.


Pedro Souza
Natural da Póvoa de Varzim, começou a tocar guitarra como auto-didata, tendo iniciado os seus estudos musicais em 1997 e concluído o 6º grau de Guitarra Clássica. Posteriormente, frequentou o curso livre na Escola de Jazz do Porto, continuando os estudos, em regime particular, com Pedro Cardoso (Peixe). Integrou, em paralelo, diversos projetos musicais, com incidência na área do Rock, tendo editado 2 EPs, em 2007 e 2013, e participado no concurso de vídeos musicais do Festival Curtas de Vila de Conde, em 2014, com a banda OPEN. Em 2010, concluiu o mestrado em Ciências Farmacêuticas pelo IUCS – Instituto Universitário de Ciências da Saúde, em Paredes. Atualmente, integra/colabora com projetos como Laudo, Indignu [lat.], Carbon, OGBE (Orquestra de Guitarras e Baixos Elétricos). Como músico e compositor, tem vindo a colaborar com a Companhia de Teatro Público Reservado, sob a direção de Renata Portas, com o Teatro da Didascália e com a bailarina Beatriz Valentim. Programa anualmente o Festival “Três a Solo”, no Cine-Teatro Garrett, na Póvoa de Varzim. Em 2016, criou a MEMO, uma produtora e agência com a finalidade de produzir e promover espetáculos e impulsionar artistas portugueses emergentes.

DANÇA INVISÍVEL 2022

17 Set – Taranta + Torta, Lenta, Partida, Suspensa
18 Set – Vado: solo sobre as coisas vazias
24 Set – Vaca
25 Set – Plants Dictionary